sábado, 12 de abril de 2008

Micropaisajens do meu jardim

São os promenores que fazem a diferença.
Nem sempre o belo é grandioso, "tamanho não é documento".
A natureza manifesta-se em todas as escalas... (macro e micro)
O céu calcário
duma colina oca,
donde morosas gotas
de água ou pedra
hão-de cair
daqui a alguns milénios
e acordar
as ténues flores
nas corolas de cal
tão próximas de mim
que julgo ouvir,
filtrado pelo túnel
do tempo, da colina,
o orvalho num jardim.
Carlos de Oliveira in Micropaisagem



O poeta
[o cartógrafo?]
observa
as suas
ilhas caligráficas
cercadas
por um mar
sem marés,
arquipélago
a que falta
vento,
fauna, flora,
e o hálito húmido
da espuma,

Carlos de Oliveira in Micropaisagem



assim
se cumpre
o eclipse
gradual
sobre o centímetro
quadrado que
os líquenes
cobrem
na memória,
assim
a luz e a neve
se ocultam
pouco a pouco, assim
se esquece.

Carlos de Oliveira in Micropaisagem




Desculpem-me mas gosto e desfruto o que é gracioso, me é dado e é bom.

---XX---

Há coisas que não desfruto e nem aceito.


A notícia

O provérbio: - "O espírito distante não vê o que tem diante."

2 comentários:

fotógrafa disse...

“Um cobarde é incapaz de demonstrar amor, isso é previlégio dos corajosos”.
(Gandhi)
Hummm…pensamento interessante…
Passando para desejar um bom domingo
Abraço

Rosi Gouvea disse...

Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
- para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

...Mário Quintana...

E deixo aqui admirações a abraços!