terça-feira, 15 de julho de 2008

Século XXI estamos a progredir ou pelo contrário?

O Dr. Vítor Constâncio (já foi ministro de qualquer coisa) vem-nos dizer que a crise que atravessamos pode ser idêntica há que se viveu a seguir à segunda guerra mundial, ao contrário do que disse antes, ele é Doutor sabe.





Perguntas para reflexão:





Quem controlou a economia deste país "Portugal" para a deixar neste estado de progresso?







Para distribuir responsabilidades, não a querem, costumam dizer, "somos todos responsáveis", será assim?





Teriam sido os mesmos especialistas que agora se mostram preocupados?





Porque não ouvem há décadas quem conhece a situação em cada momento, onde estiveram as universidades e o seu saber bem fazer?





Pela primeira vez ouvimos dizer que centenas de famílias estão a entregar no tribunal processos de insolvência, falência, isto é progresso?





Somos o país da zona Euro que se vê ultrapassado constantemente no que é bom e ultrapassa todos no que é mau, isto é progresso?





A maioria continua a fazer o que sempre fez, produzir riqueza com o seu trabalho, produzem para quem? Se cada vez estão mais pobres, apesar da riqueza que produzem?





O Dr. Bruto da Costa falou sobre a pobreza dos que trabalham, será que os que decidem sobre quem pode ser rico ou pobre, é sensível ao que ele diz?





A guerra no Afeganistão e no Iraque quanta riqueza destruíram, quanto sofrimento produziu e quanto custou à humanidade?





Veja algumas respostas sobre os custos, decerto valores por defeito.





Iraque, esta guerra foi apoiada por quem dirigia o país (Durão Barroso à frente) a maioria dos povos repudiou-a.





Há muitas mais respostas





http://paremomundo.com/2008/06/22/custos-da-guerra-no-iraque-em-video/





http://www.boston.com/news/world/middleeast/articles/2006/09/28/cost_of_iraq_war_nearly_2b_a_week/





Já se disse que a guerra no Afganistão e Iraque, já ultrapassou em custos a 2.ª Guerra Mundial, não haverá nenhuma relação destas guerras recentes com a crise actual?





Os estudiosos não tinham previsto isto? Ninguém os quis ouvir?











Será que queremos uma próxima guerra com o Irão?





Será que o perigo para humanidade é a bomba atómica que os países alinhados com os EUA, com a China e com a Rússia e quase todos têm a bomba atómica e a tecnologia para a produzirem, fornecida por quém? Mas fazem guerra aos países que dizem ter essas armas e depois vêm dizer que foram mal informados? E sabiam que não tinham ou não têm a tecnologia necessária á produção de tais armas, não estamos a falar de rodas pedaleiras, bicicletas ou mesmo motores de reacção, turbinas.






Porque será que o preço do petróleo aumenta loucamente?





Não será um acto de terrorista, para não dar descanso ao ocidente, como disse aquele, que o Bush disse que ia apanhar, um tal Laden, mas ainda não o apanhou e porquê?





Pensem no nosso progresso, porquê três dias de camionistas sem trabalhr quase param o país? Faz pensar em segurança, não faz? Se fosse um mês de paralização de transportes?





Porquê seis meses com o petróleo a aumentar de preço cria esta crise idêntica à que foi provocada pela guerra que destruiu a Europa nos anos quarenta?





Que raio de progresso é este, não temos os entrepostos criados nos anos oitenta cheios de bens para aguentar uma crise? Onde estão os celeiros do país? Os frigoríficos e armazéns?





Uma coisa é certa o homem não mente e diz passei a minha vida a trabalhar, parece-me que não tenho culpa disto, eu nem sequer sei ler... agora lê o Gandarês, é o Ti Manel Rebelo.



Para o Ti Manel Rebelo o pão é a medida de todas as coisas, sem ele não pode trabalhar e sem trabalho pensa que morre, ele não é homem de esquemas financeiros "especulações". de jogos de "bolsa" e outros e também não quer roubar por uma questão de honra, nunca foi armado cavaleiro como o "Robin dos Bosques", só sabe mesmo é trabalhar porque pensa e está convicto que é a única maneira de garantir o pão do dia a dia.





O Tí Manel Rebelo é um dos muitos milhões que vive mais de valores e princípios do que do pão que come.





Mas e a felicidade?





A solidariedade traduzida em solidão?





A segurança?





O futuro?





Também isto é contabilizado como variáveis da crise?





O Tí Manel Rebelo é mais um dos muitos milhões que se sente preso à sua pobreza da qual não se sente culpado, viveu uma vida de trabalho duro, para se manter vivo e enriquecer outros e eles parecem preocupados com a crise agora, sem medida económica, que saiba fazer, a não ser trabalhar com muito sofrimento, até que o descanso eterno chegue.









Na minha maneira de ver o presente com algum conhecimento da história os "Senhores do Mundo" estão a preparar a humanidade para muito sofrimento... Que me engane é o meu desejo.

As coisas boas alcansadas até hoje estão cada vez mais longe da maioria dos povos. Haver coisas boas e muito boas há mas só para uma élite muito restrita.

Este retrocesso não deve ser uma fatalidade, é preciso que não nos calemos.

Para uma reflexão complementar convido-vos a ler o amigo Arsénio Mota em Mando carta.




O provérbio: - "Com paz é que se trabalha"

7 comentários:

Júlia Galego disse...

Carlos
Já aqui tinha vindo antes e gosto sempre do conteúdo dos seus posts.

Regresso para agradecer o poema que me deixou e os comentários ao que escrevi sobre as fontes e o episódio dos tacos (que aconteceu mesmo).
O poema é muito bonito. Não conhecia mas eu gostaria também de deixar esse recado.
Quanto ao sobreiro, é pena que os autarcas deste país não se lembrem que estas árvores também podem ser ornamentais e andem para aí a introduzir exóticas que depois se revelam incontroláveis. Por isso, acho que a autarquia de Marvão deve ser elogiada, até porque está a cuidar da vila de modo absolutamente impecável. Está uma beleza que vale a pena visitar.
Beijo

Arsénio Mota disse...

Aqui está mais uma reflexão do amigo Carlos Rebola que toca na carne viva do problema do nosso tempo. O ti Manel Rebelo é o símbolo expressivo do povo que trabalha, produz e sofre. Esta reflexão põe a soar a campainha de alarme nas consciências, mais uma, para acordar quem ainda durma perante os imensos perigos que hoje nos ameaçam. Só esclarecidos os povos poderão evitar outros e piores sofrimentos.
Obrigado, amigo Carlos, pela referência que me faz.
E aceite um abraço.

Carlos Rebola disse...

Olá Júlia

Cantanhede também é uma cidade bem cuidada é pena alguns e caros exageros, como o campo de golfe a meu ver desnecessário porquanto as aldeias do concelho têm carências básicas que deveriam merecer atenção.
Quanto às nossas árvores autóctones como o sobreiro o carvalho, o castanheiro e a oliveira (hoje já usada), devido ao abandono e destruição do olival antigo, só para mencionar algumas são árvores lindíssimas que poderiam ser usadas como ornamentais nos nossos jardins públicos, estou de acordo com a Júlia.
Um beijo e obrigado pela visita.
Carlos Rebola

Carlos Rebola disse...

Amigo Arsénio Mota

Infelizmente assistimos e os factos provam-no, a um enorme desrespeito por quem deu e continua a dar a vida pelo país com o seu trabalho e sofrimento espelhados no corpo e na alma de quem os encara nos olhos.
A esta multidão humana foi-lhe roubada a formação por não lhe sobrar tempo nem força, pior ainda este sistema de "Mundo Velho" parece que até auto estima e a dignidade, lhe quer roubar além da força de trabalho.

Oxalá que nunca nos permitamos "baixar a cabeça".

Um abraço amigo e obrigado pelo seu comentário.
Carlos Rebola

O Gndarês disse...

Ferroada, é ferroada mesmo, que doi.E só não se doi, quem não sente.

Carlos Rebola disse...

Caro Heleno Santos

Ainda há dias na TV numa conversa do Mário Soares com Lula da Silva, o Lula falou "sendo a crise actual especulativa e criada pelos ricos, porque têm que ser os pobres a pagá-la" cito de memória. Perante esta pergunta o Mário Soares mudou de assunto.
Porque será, que nem os “média”, tão solícitos noutras matérias, não relacionam a crise com as asneiras de quem é e tem sido poder, nomeadamente com estas guerras recentes?
Um abraço amigo
Carlos Rebola

Táxi Pluvioso disse...

Quem vai pagar a taxa robin dos bosques?
a) o consumidor
b) o consumidor
c) o consumidor
d) o consumidor
e) o consumidor
f) o tipo que está 2mm ao lado do Wally.

Teste com um grau de dificuldade igual aos do Ministério da Educação, por isso vou dar a resposta correcta. É a f) porque esse é mais fácil de encontrar.