quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Carnaval ou entrudo?

Carnaval?

(fotos Net)

Entrudo?


(fotos Carlos Rebola)
Carnaval
A festa carnavalesca surge a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra "carnaval" está, desse modo, relacionada com a idéia de "afastamento" dos prazeres da carne marcado pela expressão "carne vale", que, acabou por formar a palavra "carnaval".
(fonte Wikipédia)
Entrudo
O costume de se brincar no período do carnaval foi introduzido no Brasil pelos portugueses, provavelmente no século XVI, com o nome de Entrudo.
Já na Idade Média, costumava-se comemorar o período carnavalesco em Portugal com toda uma série de brincadeiras que variavam de aldeia para aldeia. Em algumas notava-se a presença de grandes bonecos, chamados genericamente de "entrudos".
No Brasil, essa forma de brincar — que consistia num folguedo alegre mas violento — já pode ser notada em meados do século XVI, persistindo, com esse nome, até as primeiras décadas do século XX.
(fonte Wikipédia)
Aqui no Zambujal e na região ainda há bem pouco tempo se dizia "É dia de entrudo", o entrudo tal como hoje o carnaval servia de pertexto para a brincadeira e para fazer critícas de ordem social ou comunitária, duma maneira simples e indirecta mas que todos percebiamos.
Hoje o carnaval tenta transformar-se cada vez mais numa industria, principalmente nos grandes centros, industria turistica.
O Provérbio: - "Brincando, brincando, se vai pregando"

7 comentários:

Anónimo disse...

mais o entrudo! Eu sei que e muito importante o progresso e o avanco das coisas , mas para mim nao a nada melhor do que as coisas dos tempos mais simples, mais calmos, mais inocentes. Vivenso aqui no Estados Unidos uma das coisas de que tenho mais soudades da minha aldeia e da simplecidade da vida. As festas pareciam ter mais significado, tudo parecia ter um toque especial(talves por ser crianca nesse tempo) onde agora parece que a vida nos foge e de repente sem notar ja se passou o Natal, o nao novo e a Prima-vera esta rapidamente a chegar.
Com muitas soudades e como sempre muito grata de ter esta connecao com meu lindo portugal atravez de vc Sr Rebola!
:) Adelia

Henrique Monteiro disse...

E quando a tradição passa a negócio, acabou a graça.

Um abraço.

Júlia disse...

Eu prefiro o entrudo. Pelo menos do que me lembro na minha terra, no Alto Alentejo. Sem os espaventos em que se tornaram os carnavais por essas terras fora, com gastos astronómicos e sem piada nenhuma.
Bom fim de semana
Bj

Táxi Pluvioso disse...

As Levi's para ir ao Carnaval de Torres.

Vieira Calado disse...

Algumas coisas que eu não sabia!

Obrigado e...

Bom Carnaval.

xistosa - (josé torres) disse...

O dinheiro faz falta para tudo.
Inclusiva até se compra saúde.
Sempre foi Entrudo, mas depois, começou a elevar-se a máquina de fazer dinheiro e passou a Carnaval.
Até se fazem contratações, sonantes ou não ... o que é necessário é atrair o "povo e a pova" e que tenham dinheiro e o deixem, quer nas entradas para essas altas festas ou festas altas, quer nos comércios.
Tudo se transformou num negócio.

Então agora não se pode comer leitão, são os 40 dias de jejum ... não escrevo mais porque já ia sair uma alarvidade.

Bela e completa explicação.

Rafeiro Perfumado disse...

Não achas esses 40 dias de jejum com grandes semelhanças com o Ramadão? Razão têm aqueles que defendem que lá no fundo é tudo o mesmo, e se estivermos com atenção, os árabes andam muitas vezes mascarados! ;)

Abraço!