sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Águas a caminho da privatização? Já estão na sala de espera?


Sem que houvesse qualquer discussão publica ou sessão de esclarecimento a INOVA alterou os estatutos, até aqui tudo quase bem, só que esta alteração deliberada em Assembleia Municipal, vai muito mais além da alteração da designação da empresa, pois passou a designar-se, Entidade Empresarial Municipal, o que de acordo com a lei n.º 53-F/2006 prevê a possibilidade da Entidade Empresarial fazer "parcerias-publico-privadas", foi assim que se iniciaram as privatizações dos serviços de saúde nos hospitais públicos. Assim a água (petróleo dos Olhos da Fervença) está na sala de espera da privatização, atentem aos interessados, possivelmente empresas classificadas como de interesse público, a referida lei facilita e privilegia estas empresas privadas. Será que devemos aceitar que os nossos políticos no poder se mostrem incompetentes de gerir a "coisa pública"?

Holanda proibiu a privatização da água, que se siga o seu exemplo, os fundamentos da proibição são de reter.
-

Dizia José Saramago "privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E, finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo..."
















Vale a pena ver e ouvir


Estaremos a fazer tudo para evitar que tenhamos um mundo sem água potável?




Será que o Homem moderno, o Homem da informação, do desenvolvimento cientifico e tecnológico sem precedentes, do Homem do "progresso" sem "limites", da visão económica e financeira do mundo que está a substituir todos os valores humanos por um único valor absoluto, o supremo valor do dinheiro. Será que o Homem de hoje é digno da herança que lhe foi deixada pelas gerações que têm vindo ao longo de dezenas de milhares de anos a preservar com sustentabilidade a casa comum da Humanidade, o Planeta Terra. O Homem de hoje deveria sentir vergonha pela sua estupidez, desmesurada ambição e mesquinhez ao destruir o que deveria deixar às gerações futuras como garantia de sobrevivência. Como foi possível em tão pouco tempo destruir tanto. Os "chicos-espertos" não descansam, enquanto os "tótós" estão preocupados com a "borbulha" junto do seu umbigo. Cativos do voto que "deitaram", lá vão suplicando, subservientemente "Òh senhor presidente, não se esqueça da minha pomadinha!... Olhe que eu deitei o voto no Senhor Presidente." E o presidente altaneiro, diz-lhe: "Tenho andado muito ocupado, mas isso está a ser tratado, fique descansado(a) que não me esqueci de si!..." e também é assim que se enxofra.

Atenção!!!

Post scriptum - Este post estava esquecido como rascunho há vários meses. Mas é actual.

3 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Isso é certinho como o sol, que também será privatizado se a energia solar der dinheiro. E a água ficará mais cara que o vinho. Antigamente a água era um produto natural, hoje é um produto industrial. Poluíram-se as nascentes e os rios e depois, claro, é preciso fabricar a água.

Aqui, à volta de Lisboa, havia várias nascentes que atraía pessoas com garrafões, hoje já nada existe, só condóminos.

Táxi Pluvioso disse...

A mala mais útil do mundo. bfds

Vieira Calado disse...

O ar... vem a seguir!

Um abraço